As minhas impressões…

18 18UTC thUTC31UTC10bSun, 18 Oct 2009 11:21:07 +00002009 18UTC 2008

Agora que já vivo há cerca de nove meses na Coruña (ou Corunha como prefere o amiguinho Seco) posso fazer alguns comentários sobre as gentes e os costumes daqui. Não pretendo fazer juízos de valor, generalizar ou ofender ninguém. São meras observações, ideias, impressões que tenho vindo a adquirir desde que cá estou. Se estiver errada em algum dos pontos que descreverei  mais abaixo, por favor escrevam comentários e corrijam-me. Ficarei muito mais satisfeita por ter uma ideia fiel da cidade e dos seus habitantes do que permanecer na ignorância e adquirir noções erradas.

De momento escreverei só sobre a infância. Não quero que o artigo se torne muito longo e maçudo. E por agora também não disponho de muito tempo. Além disso, escrever exige um esforço para o qual não estou muito virada, já que tenho de planificar a próxima semana de trabalho com os meus bebés queridos.

1. INFÂNCIA

O sistema educativo infantil está dividido da seguinte forma: escola infantil (0 – 3 anos) e colégio (3 – 6 anos). Para poder ser um profissional da educação no primeiro estágio é necessário fazer um curso técnico de dois anos (o que corresponderia aos nossos 11º e 12º anos do secundário)  e ficamos com a designação de técnico superior de educação infantil. Se quisermos exercer também em colégios (mais prestigiante que as escolas infantis) teremos de ir à universidade e estudar durante mais dois anos ao que se chama magistério. Aí ficaremos com o título de maestra infantil.

As escolas infantis podem ser particulares, públicas (sim, aqui o Estado já reconhece que a faixa etária dos 0 aos 3 anos também conta na educação dos mais pequenos, apesar de pagar menos aos técnicos superiores de educação do que aos maestros infantis) e municipais, ou seja, como já expliquei noutro post, com dinheiros públicos e gerência privada, e têm um horário muito reduzido que vai desde cerca das 8h até as 15h. Mais do que isso os pais têm de pagar como se fosse extra-curricular. Todas as refeições que se façam na escola, desde pequeno-almoço a lanche, são pagas à parte. Por isso, uma grande parte das crianças vai-se embora às 13h. Algumas vão a casa almoçar  e depois voltam às 15h. A maioria fica com os seus avós na parte da tarde.

Uma coisa curiosa e muito bonita que acontece aqui é que as crianças não são levadas para casa e postas frente à televisão (sim, em alguns casos não duvido que isto se passe). Em vez disso, vão passear e brincar para um dos muitíssimos parques infantis que existem espalhados por toda a cidade. Para mim são surpreendentemente tantos que me arriscaria a dizer que há um a cada quarteirão. É realmente uma imagem bonita ver um jardim, um parque infantil, as ruas e os cafés cheios de gente com as suas crianças a brincarem e a correrem livremente. O movimento nota-se mais a partir das 16h.  A essa altura torna-se quase impossível passear pelas principais ruas da cidade. É tanta gente! Tantos carrinhos, tantos miúdos com os seus pequenos e espaçados passinhos. Sim, são muito engraçadas as criancinhas, mas quando estamos com pressa ou queremos andar a um ritmo normal esta parte torna-se um pouco irritante… Coisas de uma cidade grande, o que se pode fazer?

Esta imagem deixa de ser tão bonita quando vemos uma grande maioria (e quando digo maioria refiro-me mesmo a muitíssimas crianças) vestida como se vestiam os niños há dois séculos atrás (séc XIX). E não exagero, acreditem. Meninos com calções e suspensórios, meias até aos joelho,  camisa com lacinho de cetim na gola e boina (sim, as boinas que os nossos avós ainda usam hoje em dia).  Meninas com vestiditos aprumados, meias até ao joelho, sapatos de verniz e laços de cetim no cabelo. É vê-los nos seus carrinhos de tecido azul marinho, cheio de rendilhados brancos nas costuras, com as grandes rodas de raios e pneus finíssimos. À falta de melhor descrição apresento-vos esta imagem:

8254df0cbe38f2ebe4cf3869b4c7b556_bigEstes serão os “betinhos” aqui da zona… É claro que este tipo de moda está mais associada à classe social  média alta. Não obstante, aqueles que têm menos posses também se apresentam assim. A diferença está em como se apresentam os pais 🙂

Outros temas, outras observações e outras minhas impressões ficarão para o próximo artigo, prometo.

Ah! Já me esquecia! Já vendi os meus colares na loja Mettro! Estou a preparar mais para lhes levar. E a semana passada recebi um pedido de uma venezuelana que viu o meu blog Muñekixus. Gostou tanto dos meus colares que me encomendou seis! É muito gratificante saber que as pessoas gostam do meu trabalho. E claro que uns dinheirinhos extra vêm sempre a calhar 😀

minha assinatura blog

Anúncios

Novidades por cá: as obras da escola, as “parejas educativas”, o nosso trabalho

18 27UTC thUTC31UTC08bThu, 27 Aug 2009 16:30:06 +00002009 27UTC 2008

Durante as duas últimas semanas muito se tem passado em redor da escola A Caracola. Já sei o meu horário: das 9h às 15h30 – seis horas e meia de jornada intensiva, o que quer dizer que não se faz pausa para almoçar. E o meu salário: não é muito, mas antes isto que nada. E o importante era voltar a trabalhar. Uma vez na equipa só tenho que me esforçar por fazer um bom trabalho e para o ano que vem pode ser que tenha direito a  um horário completo e um aumento de salário. Não tenho a certeza se devia publicar este tipo de informações… acho que não tenho nada a perder, mas mesmo assim, a jogar pelo seguro, não publico.

As obras estão quase quase a terminar. Senão vejam as fotos:

Uma nota: o post do blog de Novo Mesoiro de onde retirei as fotos refere-se à chegada da relva e à sua colocação. Informo-vos, caso não saibam, que “césped” quer dizer relva.

camion-1-300x225

cesped-1-300x225

cesped-2-300x225

E também já sei quem são as minhas colegas! Nesta escola somos todas educadoras! Todas têm o mesmo tipo de formação (quer dizer… eu tive que estudar 4 anos e elas 2, porque aqui o curso de educadora na universidade faz-se nesse tempo).

Vou trabalhar com a Leonora (brasileira, de 23 anos) e com a Zeltia (galega, de 28 anos) nas salas dos Lactantes (bebés). E já começámos a trabalhar! Juntámo-nos uma tarde em casa da Leo para conversar, trocar ideias, definir por linhas muito gerais o que queremos para este ano lectivo e as nossas filosofias/modos de trabalhar. Descubrímos que coincidimos em muitíssimas coisas e até agora estou muito contente por nos terem juntado às três. Creio que foi uma boa decisão por parte da directora, Bea.

eu e zeltia a trabalhar

Leo e eu a trabalhar

Entretanto temo-nos juntado (a equipa completa) quase todos os dias para encontrar uma casa de uniformes que nos agrade a todas… O que se tem vindo a revelar um pouco complicado… Enfim, no seio de tantas mulheres já era de esperar…

Se tudo correr de acordo com o previsto, começamos a trabalhar já esta próxima Terça, dia 01 de Setembro!

minha assinatura blog


Primeira Reunião de Trabalho

18 05UTC thUTC31UTC07bSun, 05 Jul 2009 19:41:43 +00002009 05UTC 2008

Ontem (04/07) tive a minha primeira reunião de trabalho da Escuela Infantil Municipal A Caracola! E foi la hostia!!! Ou seja, foi altamente!!!

Esta escola e a sua directora realmente são do outro mundo… Quase que nem acredito!

A escola ainda está em obras, por isso todas as reuniões e entrevistas têm-se realizado no Centro Cívico de Feáns (não é uma junta de freguesia, é um lugar onde as associações de vizinhos se podem juntar para, por exemplo, organizar festas, programas culturais, simplesmente falar ou discutir sobre questões do seu bairro).

Quando a Bea, directora da escola/mentora de todo este projecto, nos indicou que entrássemos na sala, deparámo-nos com uma mesa de reuniões organizada desta forma: no centro da mesa estavam dispostos vários livros que teremos de ter como referência e, em cada lugar havia uma pasta vermelha com o nosso nome escrito, a qual continha fotocópias de textos importantes que reflectem a ideologia que se vai tentar implementar na escola, um bloco de apontamentos muito pequeno e um livro de Boas-Vindas (panfleto explicativo que havia sido entregue aos pais na sua primeira reunião), no qual se podiam ler os principais objectivos da escola, pormenores como calendário e horário de funcionamento, regras básicas que os pais devem ter em conta quando levam os seus pequenos à escola – cumprimento de horários, alimentação, quantos babetes, mudas de roupa, etc etc. Só isso me deixou muito surpreendida e mais relaxada (ando um pouco preocupada porque ainda não estou familiarizada com o sistema educativo espanhol, com a bibliografia, enfim…). Assim, já sei o que devo ler, que autores devo procurar, o que saber para melhor e mais facilmente me adaptar a uma nova escola de um país diferente (ainda que sejamos todos europeus e todos latinos, as coisas aqui funcionam de maneira ligeiramente diferente de Portugal).

Depois de analisarmos as fotocópias e de falarmos um pouco da filosofia de Reggio Emília, passámos aos pormenores mais técnicos:

1.  A escola vai abrir dia 02 de Setembro e nos três primeiros dias só vai funcionar das 10h às 15h, que é o período de adaptação à escola para as crianças.

2.  Vamo-nos reunir no dia 01 para preparar umas boas-vindas às crianças e aos pais que, no período de adaptação, têm as portas abertas. Ou seja, podem vir visitar-nos à hora que quiserem e participar de algumas actividades que teremos preparadas para eles.

3.  A escola abre às 07h30 e fecha às 18h30. Estará encerrada durante todos os feriados e nos dias 24 e 31 de Dezembro, na Segunda de Carnaval, bem como no Dia do Maestro (professor). Nos períodos de Semana Santa, Natal e outros (dos quais me vou inteirar depois), a escola só oferece os serviços mínimos, ou seja, das 07h30 às 15h00.

4.  Muita atenção que isto é importante! Porque ainda não tive o prazer de conhecer e trabalhar em nenhuma escola que fizesse isto. Nos dias 28, 29 e 30 de Agosto vamos fazer um Summit!!! Um fim-de-semana em que todos os funcionários da escola se reúnem (num hotel ou algo do género) fora do ambiente de trabalho, para que se conheçam melhor e para fomentar o espírito de equipa, de grupo, de comunidade, através de jogos e actividades pensadas para isso. A ideia base é que se os empregados estão satisfeitos com os seus colegas, com o ambiente de trabalho, com o chefe, então serão muito mais produtivos porque trabalharão com mais gosto. E claro, tudo pago pela empresa!

5.  Quanto a salários, segundo a Bea, a coisa está mais complicada. Como a escola é pública, quem nos paga é a Rede Municipal de Escuelas Infantiles del Ayuntamiento de A Coruña e, por isso, as coisas ainda não estão bem definidas, já que a nossa querida directora está a tentar que nos paguem mais. Infelizmente não nos disse por onde andavam os mínimos… Mas que assim que estiver tudo acertado e conseguir o que quer do Ayuntamiento, nos enviará um e-mail com o nosso horário e salário correspondente.

6.   Outro probleminha são os horários… A directora preferiu ter mais pessoal em cada sala do que o mínimo exigido por lei. Por exemplo, para o grupo de 16 crianças que têm apenas meses, a escola vai contratar três adultos, em vez dos dois habituais. Um sinal de qualidade, no meu ponto de vista! Mas… uma vez que a escola depende de fundos públicos [porque todos os extras que se fizerem numa escola municipal têm que ser obrigatoriamente investidos, seja em aumentos salariais, em material ou em saídas, ao contrário de uma escola privada ou concertada (IPSS em Portugal)], não tem margem suficiente para pagar a tanta gente. Por isso, vão haver vários horários: part-time de 4 horas, 5 horas e meia, e completo de 6 horas e meia. Espero ficar com um horário completo, porque se não, vou ter que arranjar outro par-time (permitido pela escola).

7.  Mas, por outro lado, todo o nosso esforço vai ser recompensado! Isto quer dizer que, se a directora achar que estamos a fazer um bom trabalho, nos dará a possibilidade de, por exemplo, tirarmos um dia (sem que o descontem, claro!), sair mais cedo ou chegar mais tarde de vez em quando, e outras surpresas que não quis revelar.

8.  A escola vai ter salas e grupos de crianças divididos por faixas etárias (0-1, 1-2, 2-3 anos), mas não vai funcionar da forma a que estamos habituados, em que cada grupo tem a sua sala e ali permanece todo o tempo. Cada sala vai ser de todos, como se fosse só uma, mas com vários cantinhos. Assim, por exemplo, a sala X tem uma boa área de Expressão Plástica que vai ser utilizada, se assim o quiserem, por alguns meninos do grupo Y. E se, por outro lado, a alguns meninos da sala Z lhes apetecer ir brincar para a Casinha da sala X e a outros lhes apetecer ir para o Atelier (sim! vamos ter um atelier e uma sala de documentação! Inge, deves saber do que falo :-)), então assim será! Ou seja, os grupos não são de ninguém, são de todos e todos são um único grupo! Heterogeneidade e Mobilidade! Assim funcionam as escolas Reggio Emília.

9.  Todas as mães que quiserem dar de mama aos seus bebés podem fazê-lo à vontade!!! Ou seja, combinando com a escola, podem entrar sempre que queiram para dar de mamar. Se não tiverem possibilidade de o fazer, mas desejem que o seu bebé continue a beber do seu leite, podem trazê-lo que o pessoal da escola estará formado e habilitado para que se faça tudo da forma mais correcta e higiénica.

10.  Todo o pessoal vai ter um Livro de Vida que estará sempre na escola, disponível para quem o queira ler e conhecer-nos melhor. Este livro será feito por cada uma de nós e nele relataremos o percurso que fizemos desde o nosso nascimento até chegar à Caracola, o que não implica que falemos só de trabalho. Eu já sei que vou ter imensas coisas para contar!!! 🙂

E pronto, basicamente é isto! A próxima reunião é no dia 18 de Julho, na qual já vamos assinar os contratos.

E também referir que sou a única a quem já foram designadas algumas tarefas: desenhar o uniforme da escola para os adultos (não vamos ter a tradicional bata, mas sim uma calças e uma t-shirt) e organizar as fotografias das crianças para que se possam expor à entrada da escola. Que previlégio!!! Sinto-me muito orgulhosa!

Já agora, uma pequena actualização do post:

A escola está em obras, mas podemos sempre ver algumas fotos de como se irá parecer. Consegui-as no blog da associação de vizinhos de Novo Mesoiro, onde se irá situar A Caracola.

a caracola obras

a caracola plano

a caracola planta