Aventuras legais e burocráticas por cá

Por onde começar? Estive tanto tempo sem escrever e já aconteceram tantas coisas que nem sei por onde devo começar…

Estamos cá há 11 dias. Deixei de escrever na Terça, 27 de Janeiro, no dia em que encontrámos casa e nos mudámos do hotel para lá. Nessa noite fizemos as primeiras compras (sobretudo produtos e utensílios de limpeza, bem como comida, talheres, pratos, tachos…). Chegámos a casa às 23h30, por isso só tivemos forças para comer qualquer coisa e fazer a cama para dormirmos um pouco.

Na Quarta, às 11h da manhã, assinámos o contrato da casa.  A agente imobiliária foi extremamente simpática, pois deixou-nos assinar contrato sem termos nenhuns dos documentos legais necessários para o efeito.  É que para se assinar um contrato precisamos de ter um NIE (Número de Identificação Estrangeira), de uma conta no banco e de um contrato de trabalho. MAS… para se ter um NIE é preciso estar apadronado (ter morada na cidade. Ter um documento que em Portugal deve equivaler a um atestado de residência). E para ter esse documento é preciso ter uma morada! Para ter um contrato de trabalho ou uma conta no banco precisamos de um NIE. Já viram a pescadinha de rabo na boca, né? Pois… A agente deu-nos um grande voto de confiança.

Então, depois de assinarmos o contrato de um ano fomos tratar do apadronamiento. A Eva ajudou-nos bastante pois, além de trabalhar para a Igalia, também trabalha no Ayuntamiento (Câmara Municipal), o que nos deu acesso a uma série de boas vontades por parte de vários colegas seus.

Quando chegámos à Câmara Municipal, os serviços já estavam a encerrar, mas o funcionário fez-nos a primeira gentileza: atender-nos, mesmo já estando na sua hora de almoço. Aí, tivemos de mostrar o contrato da casa.

PROBLEMA Nº 1

O contrato tinha a morada de um apartamento que não era o nosso!!!

PROBLEMA Nº 2

A nossa morada não existe!!! Como é um prédio novo (restaurado) ainda não foi registado com os diferentes andares, esquerdos e direitos (a polícia ainda não foi ao local reconhecer que o prédio existe).

GENTILEZA Nº 2

O funcionário levou-nos até à sua superior, que nos deixou ser apadronados com a morada da Eva e deu-nos uns impressos que daqui a uma semana  (quando a polícia reconhecer que a nossa morada existe) devemos preencher e entregar nos mesmos serviços para alterar a morada.

Com isto já são 15h e a Polícia, onde devemos adquirir o NIE, já fechou… Os serviços que queremos funcionam das 08h às 14h.

A Eva avisou-nos para irmos bem cedo, antes dos serviços abrirem, pois todos os dias aquilo fica superlotado.

Próxima aventura, próximo artigo: tratar do NIE!

2 respostas a Aventuras legais e burocráticas por cá

  1. Ines diz:

    lendinas dois comentários: um: pensava que os espanhóis não eram tão simpáticos assim como os descreves.
    dois: afinal burocracia não é só em portugal!

  2. lenagrosso diz:

    Em Sevilha não eram tão simpáticos. Prestáveis sim, mas não simpáticos. Aqui é muito parecido com Portugal.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: